terça-feira, 26 de março de 2013

Crianças que menos se expões à germes tem maior risco de ter Diabetes tipo 1

Estudo recentemente publicado na revista Acta Diabetologica sugere que a falta de exposição de crianças á micro-organismos (fungos, bactérias e virus) pode estar relacionado ao desenvolvimento de Diabetes Tipo 1.

Um dos dados que corrobora esta teoria é que no mundo todo tem havido um aumento dos casos de Diabetes tipo 1, sem que saibamos ainda o motivo. Este aumento tem ocorrido principalmente nas nações mais ricas, onde a mortalidade por doenças infecciosas tem caído progressivamente. Enquanto isso, nas nações mais pobres, onde há maior frequência de doenças como tuberculose, diarréia e doenças parasitárias, observam-se taxas menores de Diabetes tipo 1.

Este estudo dá suporte a chamada "teoria da higiene", que sugere que nós somos geneticamente programados para entrar em contato com germes desde que somos bebês. Assim , se bebês e crianças são superprotegidos de contato com germes e poeira o sistema imune não desenvolve, e a chance de auto-imunidade (causa da Diabetes tipo 1) aumenta.

Ainda não há comprovação desta teoria, sendo apenas uma hipótese. Mesmo assim este estudos levanta uma dúvida e questiona a cultura do uso indiscriminado de antibióticos Outro estudo recente mostrou que adultos que foram expostos à  tratamentos com antibióticos na infância tiveram maior incidência de obesidade. Isto mostra que nossas bactérias intestinais parecem ter alguma importância no controles do peso .

Esta "guerra" contra as bactérias e germes, disseminada no final do século passado,  ainda está fortemente presente no comportamento das mães. É só observar a quantidade de campanhas publicitárias de produtos de limpeza que "salvam" as famílias dos terríveis "germes".Seriam estes germes tão maléficos assim ?







Nenhum comentário:

Postar um comentário